Páginas

Ajuda a gente??? =)

Ban Gu - Hanshu

Um destacado seguidor da linha de Sima Qian foi Ban Gu (I d.C.), redator do Hanshu, ou Anais de Han. Mais conciso e menos crítico, o historiador Ban Gu se limitou a fazer somente uma história de sua Dinastia (Han), até o período da grande divisão (9-22 d.C.), no que ele praticamente completa o trabalho do Shiji, finalizando a longa cronologia estabelecida pelo seu predecessor. E, a partir desta época, o modo de se fazer história ganhará uma certa uniformidade, sendo essencialmente o mesmo que se manterá até o final do império.

Extrato do Hanshu

A Morte de uma Rainha

Quando a senhora imperatriz Li (esposa do imperador Wudi, de Han) ficou gravemente enferma, Sua Majestade foi vê-la. Ela cobriu o rosto com o lençol da cama e disse:

- Agradeço a Vossa Majestade a honra que me faz. Mas tenho estado doente há muito tempo e definhei tanto que não estou em condições de receber o meu senhor. Meu único desejo é que Vossa Majestade cuide de meus irmãos e dos príncipes de meu sangue, após a minha morte.

- Estás muito doente e não estou certo de que sejas capaz de curar-te - respondeu o imperador. - Deixa-me ver-te e dize-me o que queres que eu faça por teus irmãos. Não é coisa bem simples?

- Não ouso. Não é conveniente que eu veja Vossa Majestade no estado em que me encontro, com o rosto tão devastado pela doença.

- Por favor, deixa-me ver-te. Dar-te-ei mil moedas e darei a teus irmãos elevados cargos - rogou o imperador.

-Vossa Majestade tem poder para isso. Mas, por favor, não insista - replicou a Senhora Li.

O imperador continuou a rogar. A imperatriz, então, voltou o rosto para o outro lado e não falou mais. Sua respiração era ofegante. O imperador, contrariado, saiu.

Depois da partida do imperador, disseram a ela suas irmãs:

- Por que não deixaste que ele te visse, ao menos por causa de teus irmãos? Parecia que o odiavas!

- Fiz o que fiz exatamente por causa de meus irmãos - respondeu a Senhora Li. - É preciso compreender os homens. Subi a esta posição em razão de minha beleza, e ele ainda pensa em mim porque tem na lembrança o aspecto com que me viu quando eu era jovem e bela. Se eu o deixasse ver-me agora, ele ficaria tão contrariado que, realmente, as oportunidades de meus irmãos receberem seus favores seriam prejudicadas.

Quando a Senhora Li morreu, o imperador fez-lhe pomposo funeral. Mais tarde, fez de seu irmão mais velho, Li Kuangli, general e Duque de Haishi, e nomeou Li Yennien Vice-Comandante dos Guardas.

O imperador não conseguia deixar de pensar nela. Havia um mágico de Qi que se gabava de poder evocar as almas dos que haviam partido. Para isso, preparou-se um quarto com cortinas na cama, velas arderam durante a noite e vinhos e acepipes foram postos sobre a mesa. O imperador foi levado a sentar-se em outro quarto, à distância. Viu uma bela mulher, parecida com a Senhora Li, entrar, sentar-se no leito e andar pelo aposento. Mas não lhe foi permitido aproximar-se. Ficou imensamente comovido e escreveu um poema:

És tu?

És tu realmente?

Vieste.

Mas, quando vieste, teus movimentos eram tão lentos e majestosos!


Aos músicos da corte foi dada ordem de musicá-lo.